Home Estudo Bíblico O DIABO NUNCA FOI LÚCIFER

O DIABO NUNCA FOI LÚCIFER

145
0
O Diabo nunca foi Lucifer

O DIABO NUNCA FOI LÚCIFER

Pr Jorge Cruz

Lúcifer. O Nome de Uma Estrela

Os romanos, que foram os grandes dominadores antigos e fundadores do Império Romano, chamavam o mar mediterrâneo de “Mare Nostrum” (Nosso Mar), e, nas suas navegações, se guiavam pelo planeta Vênus que era por eles chamado de “Stela Maris” (Estrela d Mar) e “Lúcifer” (Condutora de Luz).

É a mesma estrela que nós chamamos de “Estrela D’Alva”.Então, já fica esclarecido que o nome Lúcifer, em princípio, nada tem a ver com o diabo, que na Bíblia é chamado de Satanás, Diabo, Belzebu, Inimigo e outros; menos de Lúcifer.

Jerônimo e o Epíteto Dado ao Diabo

Quando São Jerônimo fez a sua tradução do Antigo Testamento, do hebraico para o latim, conhecida como “A Vulgata Latina”, e levou cerca de quinze anos para concluir (390 D.C. a 405 D.C.), a pedido do Papa Dâmaso I.

Então, no texto do profeta Isaías, capítulo 14, versos de 12 a 14, onde o profeta profere a sentença:

“Como caíste do céu, ó estrela da manhã” (um segmento de teólogos bíblicos entende que há nesse texto uma referência à queda de Satanás) .

Jerônimo traduziu, usando, no lugar de estrela da manhã, o nome que os romanos usavam para essa estrela: “Como caíste do céu, ó lúcifer”.

E foi assim que o diabo recebeu o honorífico título de: “Lúcifer” (Condutor de luz), coisa que ele não é, e nunca foi.

Em Apocalipse 22.16, o Senhor Jesus se declara a brilhante estrela da manhã:

“Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar destas coisas a favor das igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a brilhante estrela da manhã.”

O Início de Tudo

Não podemos estudar este assunto sem conhecer o que aconteceu no Primeiro Concílio de Nicéia.

Este Concílio Ecumênico foi convocado pelo Imperador Constantino I, em 20 de maio de 325 e durou até 19 de junho desse mesmo ano.

Um dos assuntos que foram tratados foi o arianismo, doutrina cristológica do Presbítero Ário, de Alexandria.

 Ário afirmava que a natureza de Cristo era diferente da natureza de Deus, e por esta razão sua natureza era “heteroousios” (de diferente substância); porém, a maioria dos conciliares e do próprio Constantino I, graças a grande influência de Atanásio de Alexandria entenderam que a natureza de Cristo era “homoousios” (de igual substância).

Declarou-se que a doutrina de Ário era herética e que deveriam ser queimados todos os livros que a continha.

Veja Também: Musicas Evangelicas

Teria São Jerônimo Usado de Retaliação?

A luta contra o arianismo permaneceria na Igreja Cristã por muito tempo.

Com a morte de Constantino I, os arianos voltaram a influenciar, mas de maneira moderada.

São Lúcifer Calaritano, Bispo de Cagliari, Itália, foi contra o primeiro modelo de arianismo, mas, ele mesmo tornou-se um ariano moderado, cunhando a frase homoiousios (de semelhante substância).

Ele teve em São Jerônimo um forte opositor. Jerônimo chamava os seguidores de Lúcifer de luciferianos, e escreveu livros atacando o seu opositor.

São Lúcifer veio a falecer em 370 D.C. Em 390 Jerônimo começou a fazer a sua tradução da Vulgata Latina, e terminou em 405 D.C. Informados de toda celeuma entre Jerônimo e Lúcifer, causa-nos espécie e questionamentos quando lemos, em Isaías 14, o diabo sendo chamado de Lúcifer nos escritos de Jerônimo.

Será que foi uma “homenagem” ao seu opositor?

A propagação da versão de São Jerônimo deve-se ao fato de o Rei James I, da Inglaterra, ter feito, em 1611, a tradução da Bíblia “King James” usando como base a versão de Jerônimo. A King James Version tornou-se o livro mais lido na língua inglesa. Daí a passagem de Isaías: “como caíste do céu, ó Lúcifer”, ter-se popularizado nos países de fala inglesa.    

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here