Home Charles Spurgeon CRISTO CRUCIFICADO – Charles Spurgeon

CRISTO CRUCIFICADO – Charles Spurgeon

33
0
Charlies Spurgueon

CRISTO CRUCIFICADO

“Mas pregamos a Cristo crucificado, aos judeus uma pedra de tropeço e à insensatez dos gregos. Mas aos que são chamados, tanto judeus como gregos, Cristo o poder de Deus e a sabedoria de Deus. ”

1 Coríntios 1:23, 24

QUE desprezo Deus derramou sobre a sabedoria deste mundo! Como Ele trouxe isso a nada e fez parecer como nada. Ele permitiu que ele elaborasse suas próprias conclusões e provasse sua própria tolice. Os homens se gabavam de que eram sábios. Eles disseram que poderiam descobrir a perfeição a Deus. E para que sua loucura fosse refutada de uma vez por todas, Deus lhes deu a oportunidade de fazê-lo. Ele disse: “Sabedoria mundana, vou tentar você. Você diz que é poderoso, que seu intelecto é vasto e abrangente, que seu olho é aguçado, que você pode desvendar todos os segredos – agora, eis, eu tento você – eu lhe dou um grande problema para resolver.

“Aqui está o universo. As estrelas fazem o seu dossel, campos e flores adornam e as inundações rolam sobre a sua superfície. Meu nome está escrito ali – as coisas invisíveis de Deus podem ser claramente vistas nas coisas que são feitas. Filosofia, eu te dou este problema – encontre-me. Aqui estão as minhas obras, encontre-me. Descubra no maravilhoso mundo que fiz a maneira de adorar-me de maneira aceitável. Eu te dou espaço suficiente para isso – há dados suficientes. Contemple as nuvens, a terra e as estrelas. Eu te dou tempo suficiente. Eu lhe darei quatro mil anos e não interferirei – você fará o que quiser com seu próprio mundo.

Dar-te-ei homens em abundância, porque farei grandes mentes e vasto, a quem chamareis senhores da terra. Você terá oradores, terá filósofos. Encontre-me, O motivo. Encontre-me, ó sabedoria. Descubra a minha natureza, se você puder encontrar-Me até a perfeição, se você é capaz. E se você não pode, então cale a boca para sempre e então eu vou te ensinar que a sabedoria de Deus é mais sábia do que a sabedoria do homem. Sim, que a loucura de Deus é mais sábia que os homens ”. E como a razão do homem resolveu o problema? Como a sabedoria realizou sua façanha? Olhe para as nações pagãs – lá você vê o resultado das pesquisas da sabedoria. No tempo de Jesus Cristo, você poderia ter visto a terra coberta com o limo da poluição – uma Sodoma em larga escala, corrupta, imunda, depravada, indulgente em vícios que não ousamos mencionar,

Encontramos os homens se prostrando diante de blocos de madeira e pedra, adorando dez mil deuses mais cruéis que eles. Encontramos, de fato, que a razão escreveu sua própria depravação com um dedo coberto de sangue e sujeira. Que ela sempre se cortou de toda a sua glória pelas ações vil que ela fez. Ela não adoraria a Deus. Ela não se curvaria diante daquele que é “claramente visto”, mas adorava qualquer criatura. O réptil que rastejava, o crocodilo, a víbora, tudo poderia ser um deus, mas não o Deus do céu. O vício pode ser transformado em uma cerimônia, o maior crime pode ser exaltado em uma religião, mas a verdadeira adoração de que ela nada sabia. Pobre razão! Pobre sabedoria! Como você está caído do céu! Como Lúcifer, seu filho da manhã está perdido. Você escreveu sua conclusão, mas é uma conclusão de insensatez consumada.

“Depois que na sabedoria de Deus o mundo pela sabedoria não conheceu a Deus, agradou a Deus a loucura da pregação para salvar os que crêem.” A sabedoria já tinha tido tempo e tempo suficientes. Ele tinha feito tudo e isso era pouco. Isso tornara o mundo pior do que antes de pisar nele. E agora, diz Deus, “a tolice superará a sabedoria. Agora a ignorância, como você a chama, varrerá sua ciência. Agora, a fé humilde e infantil desintegrará à poeira todos os sistemas colossais que suas mãos acumularam.

Ele chama seu exército. Cristo põe a sua trombeta à sua boca e vêm os guerreiros vestidos de trajes de pescador, com o sotaque do lago da Galiléia – pobres marinheiros humildes. Aqui estão os guerreiros, ó sabedoria! isso é confundir você. Estes são os heróis que devem superar seus orgulhosos filósofos! Esses homens devem plantar seu estandarte nas paredes arruinadas de suas fortalezas e pedir que caiam para sempre. Estes homens e seus sucessores devem exaltar um evangelho no mundo que você pode rir como absurdo, que você pode zombar como loucura, mas que será exaltado acima dos montes e será glorioso até os mais altos céus.

Desde aquele dia, Deus sempre levantou sucessores dos apóstolos. Afirmo ser um sucessor dos apóstolos, não por descendência direta, mas porque tenho o mesmo papel e carta de qualquer apóstolo e sou chamado a pregar o evangelho tanto quanto o próprio Paulo – se não tanto quanto na conversão de pecadores, mas em certa medida, abençoados por Deus. E, portanto, aqui estou, tolo como Paulo poderia ser, tolo como Pedro, ou qualquer um desses pescadores, mas ainda com o poder de Deus eu agarro a espada da Verdade – vindo aqui para “pregar a Cristo e Ele crucificado, ao Os judeus são uma pedra de tropeço e até a insensatez dos gregos. Mas aos que são chamados, tanto judeus como gregos, Cristo o poder de Deus e a sabedoria de Deus. ”

Antes de entrar em nosso texto, deixe-me explicar brevemente o que eu acredito que pregar a Cristo e a Ele crucificado é. Meus amigos, eu não acredito que esteja pregando a Cristo e Ele crucificado para dar ao nosso povo um lote de filosofia todo domingo de manhã e à noite e negligenciar a Verdade deste Livro Sagrado. Não creio que esteja pregando a Cristo e a Ele crucificado, deixando de fora as principais doutrinas cardinais da Palavra de Deus e pregando uma religião que é toda uma neblina e neblina, sem quaisquer verdades definidas. Eu entendo que o homem não prega a Cristo e Ele crucificado, que pode passar por um sermão sem mencionar o nome de Cristo uma vez.

Nem esse homem prega a Cristo e Ele crucificado que deixa de fora a obra do Espírito Santo, que nunca diz uma palavra sobre o Espírito Santo – de modo que os ouvintes possam dizer: “Não sabemos nem se existe um Espírito Santo. E eu tenho minha opinião pessoal de que não existe tal coisa como pregar a Cristo e a Ele crucificado, a menos que você pregue o que hoje em dia é chamado de calvinismo. Eu tenho minhas próprias idéias e aquelas que eu sempre declaro corajosamente. É um apelido para chamá-lo de calvinismo. Calvinismo é o Evangelho e nada mais. Não creio que possamos pregar o Evangelho, se não pregamos justificação pela fé, sem obras. Nem a menos que preguemos a soberania de Deus em Sua dispensação da graça. Nem a menos que exaltemos o amor eletivo, imutável, eterno, imutável e conquistador de Jeová.

Nem penso que podemos pregar o Evangelho, a menos que o baseamos na redenção peculiar que Cristo fez para os Seus eleitos e pessoas escolhidas. Nem posso compreender um Evangelho que permita que os santos desapareçam depois de serem chamados e sofra os filhos de Deus para serem queimados no fogo da condenação depois de terem acreditado. Tal Evangelho eu abomino. O Evangelho da Bíblia não é um Evangelho como esse. Nós pregamos a Cristo e Ele crucificado de uma maneira diferente e a todos os que contestam, nós respondemos: “Nós não aprendemos assim a Cristo”.

Existem três coisas no texto. Primeiro, um Evangelho rejeitado – “Cristo crucificado, para os judeus uma pedra de tropeço e para a loucura dos gregos”. Segundo, um evangelho triunfante – “àqueles que são chamados, tanto judeus como gregos”. E em terceiro lugar, um Evangelho o admirava. é para aqueles que são chamados “o poder de Deus e a sabedoria de Deus”.

  1. Primeiro, temos aqui UM EVANGELHO REJEITADO. Alguém poderia imaginar que, quando Deus enviava Seu Evangelho aos homens, todos os homens escutavam humildemente e humildemente recebiam suas verdades. Deveríamos ter pensado que os ministros de Deus tinham apenas que proclamar que a vida é trazida à luz pelo Evangelho e que Cristo veio para salvar os pecadores e todos os ouvidos seriam atentos, todos os olhos seriam fixos e todo coração estaria aberto para receber o evangelho. Verdade. Deveríamos ter dito, julgando favoravelmente de nossos semelhantes, que não existiria no mundo um monstro tão vil, tão depravado, tão poluído, a ponto de colocar tanto como uma pedra no caminho do progresso da Verdade.

Nós não poderíamos ter concebido tal coisa. No entanto, essa concepção é a verdade. Quando o Evangelho foi pregado, em vez de ser aceito e admirado, um assobio universal subiu para o Céu – os homens não puderam suportar – seu primeiro Pregador arrastou-o para o topo da colina e O teria enviado de cabeça – sim, eles o fizeram mais, eles o pregaram na cruz. E aí eles O deixam definhar Sua vida agonizante em agonia, como nenhum homem tem suportado desde então. Todos os seus ministros escolhidos foram odiados e abominados pelos mundanos. Em vez de serem ouvidos, eles foram ridicularizados – tratados como se fossem a escória de todas as coisas e a própria escória da humanidade. Olhe para os homens santos nos velhos tempos, como eles foram expulsos de cidade em cidade, perseguidos, afligidos, atormentados, apedrejados até a morte onde quer que o inimigo tivesse poder para fazê-lo.

Aqueles amigos dos homens, aqueles verdadeiros filantropos, que vieram com corações cheios de amor, mãos cheias de misericórdia, lábios cheios de fogo celestial e almas que queimavam com santa influência – aqueles homens eram tratados como espiões no campo – como se eles eram desertores da causa comum da humanidade. Eles eram tratados como se fossem inimigos e não, como realmente eram, os melhores amigos. Não suponha, meus amigos, que os homens gostam mais do Evangelho agora do que naquela época.

Há uma ideia de que você está crescendo melhor. Eu não acredito nisso. Você está piorando. Em muitos aspectos, os homens podem ser melhor – externamente melhores -, mas o coração interior ainda é o mesmo. O coração humano de hoje dissecado seria exatamente como o coração humano mil anos atrás – o fel de amargura dentro daquele seu seio é tão amargo quanto o fel da amargura no de Simon de antigamente. Temos em nossos corações a mesma oposição latente à verdade de Deus. E, portanto, encontramos homens até como velhos que desprezam o Evangelho.

Ao falar do Evangelho rejeitado, tentarei apontar as duas classes de pessoas que igualmente desprezam a Verdade. Os judeus fazem disso uma pedra de tropeço e os gregos consideram isso tolice. Agora esses dois senhores muito respeitáveis ​​- o judeu e o grego – não vou fazer desses indivíduos antigos o objeto da minha condenação. Mas eu os vejo como membros de um grande parlamento, representantes de um grande eleitorado e tentarei mostrar que, se toda a raça de judeus fosse cortada, ainda haveria um vasto número no mundo que responderia ao nome. dos judeus, a quem Cristo é uma pedra de tropeço. E que se a Grécia fosse engolida por algum terremoto e deixasse de ser uma nação, ainda haveria o grego a quem o Evangelho seria tolice. Vou simplesmente apresentar o judeu e o grego. E deixe que eles falem um momento para você, a fim de que você possa ver os cavalheiros que representam você – os homens representativos. As pessoas que representam muitos de vocês, que ainda não são chamados pela graça divina.

O primeiro é o judeu. Para ele, o Evangelho é uma pedra de tropeço. Um homem respeitável que o judeu era em sua época. Toda religião formal estava concentrada em sua pessoa. Ele subiu ao templo com muita devoção. Ele dizia tudo o que tinha, até a hortelã e o cominho. Você o veria jejuando duas vezes na semana, com um rosto marcado de tristeza e tristeza. Se você olhasse para ele, ele tinha a Lei entre os olhos. Havia o filactério e as bordas de suas vestes de incrível largura, que ele nunca poderia ser um cão gentio – que ninguém jamais poderia conceber que ele não era um hebreu de pura descendência.

Ele tinha um ancestral sagrado. Ele veio de uma família piedosa. Um bom homem certo era ele. Ele não podia suportar os saduceus, que não tinham religião. Ele era completamente um homem religioso. Ele se levantou para sua sinagoga. Ele não teria aquele templo no Monte Gerizim. Ele não podia suportar os samaritanos, ele não tinha relações com eles. Ele era um religioso de primeira ordem, um homem do mais fino tipo. Um espécime de um homem que é um moralista e que ama as cerimônias da lei. Consequentemente, quando ele ouviu sobre Cristo, Ele perguntou quem era Cristo. “O filho de um carpinteiro.” “Ah, o filho de um carpinteiro e o nome de sua mãe era Maria. E o nome de seu pai, José. ”“ Isso por si só já é suposição ”, disse ele,“ prova positiva, de fato, de que Ele não pode ser o Messias.

E o que Cristo diz? Por que Ele diz: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas. Isso não serve. Além disso, ”Ele diz:“ Não é pelas obras da carne que qualquer homem pode entrar no reino dos céus ”. O judeu deu um nó duplo em seu filactério de uma só vez. Ele pensou que teria as bordas de sua roupa feitas duas vezes mais largas. Ele se curva ao nazareno? Não não! E se tanto como um discípulo atravessou a rua, ele pensou que o lugar poluía e não pisava em seus passos. Você acha que ele desistiria da religião de seu velho pai – a religião que vinha do monte Sinai – aquela antiga religião que estava na arca e os querubins ofuscantes? Ele desistiu disso? Não ele! Um vil impostor – isso é tudo o que Cristo estava em seus olhos. Ele pensou: “Uma pedra de tropeço para mim? Eu não posso ouvir sobre isso! Eu não vou ouvir isso.

Assim, ele fez ouvidos surdos à eloquência de todo o Pregador e não ouviu nada. Adeus, velho judeu. Você dorme com seus pais e sua geração é uma raça errante, ainda andando na terra. Adeus, eu fiz com você. Ai, pobre coitado, que Cristo, que era a tua pedra de tropeço, será o teu Juiz e na tua cabeça estará aquela maldição em voz alta – “O seu sangue caia sobre nós e sobre os nossos filhos”. Mas eu vou descobrir o Sr. Judeu aqui em Exeter Hall – pessoas que respondem à sua descrição – a quem Jesus Cristo é uma pedra de tropeço.

Deixe-me apresentar a vocês mesmos, alguns de vocês. Você também era de uma família piedosa, não era? Sim. E você tem uma religião que você ama – você a ama tanto quanto a crisálida, o exterior, a cobertura, a casca. Você não teria uma rubrica alterada, nem um daqueles queridos arcos antigos retirados, nem os vitrais removidos para todo o mundo. E qualquer homem que dissesse uma palavra contra tais coisas, você se estabeleceria como herege imediatamente. Ou, talvez você não vá a tal local de adoração, mas você ama uma antiga e simples casa de reunião, onde seus antepassados ​​adoravam, chamou uma capela dissidente. Ah, é um lugar lindo e simples. Você ama isto, você ama suas ordenanças, você ama seu exterior.

E se alguém falava contra o lugar, quão irritado você se sentiria. Você acha que o que eles fazem lá, eles deveriam fazer em todos os lugares. De fato, sua igreja é modelo. O lugar aonde você vai é exatamente o tipo de lugar para todos. E se eu lhe perguntasse por que você espera ir para o Céu, você talvez diria: “Porque eu sou um batista”, ou “Porque eu sou um episcopal”, ou qualquer outra seita que você pertence. Existe você mesmo. Eu sei que Jesus Cristo será uma pedra de tropeço para você. E se eu vier e lhe disser que toda a sua ida à casa de Deus é boa para nada? E se eu lhe disser que todas aquelas muitas vezes que você esteve cantando e orando – tudo não significa nada aos olhos de Deus – porque você é um hipócrita e um formalista?

E se eu lhe disser que seu coração não está bem com Deus e que, a menos que seja assim, todo o exterior é bom para nada? Eu sei o que você vai dizer – “Eu não vou ouvir aquele jovem novamente”. É uma pedra de tropeço. Se você tivesse entrado em algum lugar onde você tivesse ouvido o formalismo exaltado. Se você tivesse sido dito, “isso você deve fazer e este outro você deve fazer e então você será salvo”, você altamente aprovaria isso. Mas quantos há lá fora religioso, com cujos personagens você não poderia encontrar nenhuma falha, mas quem nunca teve a influência regeneradora do Espírito Santo? Quantos há que nunca foram feitos para deitar-se prostrados em seu rosto diante da Cruz do Calvário – que nunca voltou a desejar um olhar para o Salvador crucificado?

Quantos há que nunca confiaram nAquele que foi morto pelos filhos dos homens? Eles amam uma religião superficial, mas quando um homem fala mais profundo do que isso, eles o definem como cant. Você pode amar tudo o que é externo sobre a religião, assim como você pode amar um homem por suas roupas – não se importando com o próprio homem. Se assim for, sei que você é um daqueles que rejeitam o Evangelho. Você vai me ouvir pregar. E enquanto falo das coisas externas, você me ouvirá com atenção. E enquanto eu defendo a moralidade e argumento contra a embriaguez, ou mostro a horrenda quebra do Sábado, tudo bem e bem. Mas se uma vez eu disser: “A menos que você seja convertido e se torne como criancinhas, não poderá de modo algum entrar no reino de Deus. “Se uma vez eu lhe disser que você deve ser eleito de Deus – que você deve ser comprado com o sangue do Salvador – que você deve ser convertido pelo Espírito Santo – você dirá:“ Ele é um fanático! Fora com ele, longe com ele! Não queremos mais ouvir isso ”. Cristo crucificado é para o judeu – o cerimonialista – uma pedra de tropeço.

Mas há outro espécime desse judeu a ser encontrado. Ele é completamente ortodoxo em seus sentimentos. Quanto às formas e cerimônias, ele não pensa em nada sobre elas. Ele vai a um lugar de adoração onde aprende a sã doutrina. Ele não ouvirá nada além do que é verdade. Ele gosta que tenhamos boas obras e moralidade. Ele é um homem bom e nenhum homem pode encontrar falhas nele. Aqui está ele, regular em seu banco de domingo. No mercado, ele anda diante dos homens com toda a honestidade – assim você imaginaria. Pergunte a ele sobre qualquer doutrina e ele pode lhe dar um discurso formal sobre ela. De fato, ele poderia escrever um tratado sobre qualquer coisa na Bíblia e muitas outras coisas além disso.

Ele sabe quase tudo. E aqui, neste escuro sótão da cabeça, sua religião assumiu sua morada. Ele tem uma sala melhor em seu coração, mas sua religião nunca vai lá – isso é fechado contra ela. Ele tem dinheiro lá, mamona, mundanismo. Ou ele tem outra coisa: amor-próprio, orgulho. Talvez ele goste de ouvir a pregação experimental. Ele admira tudo. Na verdade, ele ama tudo o que é som. Mas então ele não tem nenhum som em si mesmo – ou melhor, é todo som e não há substância. Ele gosta de ouvir a doutrina verdadeira. Mas nunca penetra seu homem interior. Você nunca o vê chorar. Pregue a ele sobre Cristo crucificado, um assunto glorioso e você nunca verá uma lágrima rolar em sua bochecha.

Diga-lhe sobre a poderosa influência do Espírito Santo – ele te admira por isso – mas ele nunca teve a mão do Espírito Santo em sua alma. Conte-lhe sobre a comunhão com Deus, mergulhando no mar mais profundo da Divindade e perdendo-se em sua imensidão – o homem adora ouvir – mas ele nunca experimenta. Ele nunca comungou com Cristo e, consequentemente, quando você começa a atacar em casa, quando você o coloca sobre a mesa, tira sua faca de dissecação, começa a cortá-lo e mostra seu próprio coração – deixe-o ver o que é por natureza. e o que deve ser feito pela graça – o homem começa, ele não suporta isso. Ele não quer nada disso – Cristo recebeu no coração e aceitou.

Embora ele o ame o suficiente na cabeça, é para ele uma pedra de tropeço e ele o joga para longe. Você se vê aqui, meus amigos? Você se vê como os outros o vêem? Você se vê como Deus te vê? Pois assim é, aqui estão muitos para quem Cristo é tanto uma pedra de tropeço agora como sempre foi. Você formalistas! Eu falo com você! O que você tem em poucas palavras, mas detesta o kernel! Ó tu que gostas dos ornamentos e do vestido, mas não te preocupes com a bela virgem que está vestida com isso – ó tu que admiras a pintura e o ouropel, mas abomina o ouro sólido, falo contigo! Eu lhe pergunto, sua religião lhe dá conforto sólido? Você pode encarar a morte na cara e dizer: “Eu sei que o meu Redentor vive”? Você pode fechar os olhos à noite, cantando como sua música vesper

“Eu até o fim devo suportar,
Tão certo quanto o sincero é dado”?

Você pode abençoar a Deus pela aflição? Você pode mergulhar em mobiliado como você é e nadar através de todas as inundações de julgamento? Você pode marchar triunfante pela cova dos leões, rir da aflição e desafiar o Inferno? Você pode? Não! Seu evangelho é uma coisa efeminada. Uma coisa de palavras e sons e não de poder. Conjure-o de você, suplico-lhe – não vale a pena mantê-lo. E quando você vem diante do Trono de Deus, você vai achar que vai falhar com você e falhar com você para que você nunca encontre outro. Por perdido, arruinado, destruído, você encontrará que Cristo que está agora em pé, “uma pedra de tropeço”, será o seu Juiz.

Eu descobri o judeu e agora tenho que descobrir o grego. Ele é uma pessoa de um exterior bem diferente do judeu. Quanto ao filactério, para ele tudo é lixo. E quanto à roupa de abas largas, ele a despreza. Ele não se importa com as formas de religião. Ele tem uma intensa aversão, na verdade, aos chapéus de abas largas ou a tudo que se pareça com um show externo. Ele aprecia eloqüência. Ele admira um ditado inteligente. Ele ama uma expressão singular. Ele gosta de ler o último livro novo. Ele é grego e para ele o evangelho é tolice. O grego é um cavalheiro encontrado na maioria dos lugares hoje em dia – fabricados às vezes em faculdades, feitos constantemente em escolas, produzidos em toda parte. Ele está na troca. No mercado. Ele mantém uma loja. Passeios em uma carruagem.

Ele é um nobre e um cavalheiro. Ele está em todos os lugares. Até no tribunal. Ele é completamente sábio. Pergunte-lhe qualquer coisa e ele sabe disso. Peça uma citação de qualquer um dos poetas antigos, ou qualquer outra pessoa, e ele pode lhe dar. Se você é um maometano e pleiteia as alegações de sua religião, ele o ouvirá com muita paciência. Mas se você é um cristão e fala com ele de Jesus Cristo, “Pare com sua barulheira”, ele diz, “eu não quero ouvir nada sobre isso”. Esse cavalheiro grego acredita em toda a filosofia, exceto na verdadeira. Ele estuda toda a sabedoria, exceto a sabedoria de Deus. Ele procura todo aprendizado, exceto o aprendizado espiritual. Ele ama tudo, exceto aquilo que Deus aprova.

Ele gosta de tudo o que o homem faz e nada que vem de Deus. É tolice para ele, tolice confusa. Você tem apenas que discursar sobre uma doutrina na Bíblia e ele fecha os ouvidos. Ele não deseja mais sua empresa. Isso é tolice. Eu conheci este cavalheiro muitas vezes. Certa vez, quando o vi, ele me disse que não acreditava em nenhuma religião. E quando eu disse que fiz e tive uma esperança de que quando eu morresse eu deveria ir para o céu, ele disse que ousou dizer que era muito confortável, mas ele não acreditava em religião e que tinha certeza que era melhor viver como a natureza ditava .

Outra vez ele falou bem de todas as religiões e acreditou que elas eram muito boas em seu lugar e todas verdadeiras. E ele não tinha dúvidas de que, se um homem fosse sincero em qualquer tipo de religião, ele finalmente estaria bem. Eu lhe disse que não pensava assim e que acreditava que havia apenas uma religião revelada de Deus – a religião dos eleitos de Deus, a religião que é o dom de Jesus.

Ele então disse que eu era um fanático e me desejou bom dia. Foi para ele tolice. Ele não tinha nada a ver comigo. Ele não gostava de religião nem de religião. Outra vez, segurei-o pelo botão do casaco e discuti com ele um pouco sobre a fé. Ele disse: “Está tudo muito bem, acredito que é a verdadeira doutrina protestante”. Mas, no momento, eu disse algo sobre eleição e ele disse: “Eu não gosto disso. Muitas pessoas têm pregado isso e o maltratado. ”Então, insinuei algo sobre graça livre, mas que ele não podia suportar, para ele era tolice. Ele era um grego polido e achava que, se não fosse escolhido, deveria ser. Ele nunca gostou dessa passagem – “Deus escolheu as coisas tolas deste mundo para confundir os sábios e as coisas que não são, para reduzir a nada as coisas que são”.

Ele achava que era muito desacreditável para a Bíblia e quando o livro foi revisado, ele não tinha dúvidas de que seria cortado. Para tal homem – pois ele está aqui esta manhã, muito provavelmente venha a ouvir esta palheta abalada pelo vento – eu tenho que dizer isto – Ah, seu sábio, cheio de sabedoria mundana. Sua sabedoria te susterá aqui, mas o que você fará nos crescimentos da Jordânia? A filosofia pode fazer bem para você se apoiar enquanto caminha por este mundo. Mas o rio é profundo e você vai querer algo mais do que isso. Se você não tem o braço do Altíssimo para segurá-lo no dilúvio e animá-lo com promessas, você afundará, Homem.

Com toda a sua filosofia, você afundará – com todo o seu aprendizado, você afundará e será levado para aquele oceano terrível de tormento eterno, onde você será para sempre. Ah, gregos, pode ser tolice para você, mas você verá o Homem, seu Juiz e então você se arrependerá do dia em que você disse que o Evangelho de Deus era tolice.

II. Tendo falado até agora sobre o Evangelho rejeitado, falarei brevemente sobre o TRIUNFO DO EVANGELHO. “Para nós que somos chamados, tanto judeus como gregos, é o poder de Deus e a sabedoria de Deus.” O homem rejeita o Evangelho, despreza a graça e ri disso como uma ilusão. Aqui está outro homem que também riu disso. Mas Deus irá trazê-lo de joelhos. Cristo não morrerá por nada. O Espírito Santo não se esforçará em vão. Deus disse: “A minha palavra não voltará a mim vazia, mas ela cumprirá o que me agrada e prosperará naquilo que a enviei”. “Ele verá as dores da sua alma e ficará abundantemente satisfeito”. .

Se um pecador não é salvo, outro será. O judeu e o grego nunca despovoarão o céu. Os coros da glória não perderão um único cantor por toda a oposição de judeus e gregos. Porque Deus disse isso. Alguns serão chamados. Alguns serão salvos. Alguns devem ser resgatados

“Pereça a virtude, como deveria, abominada,
E o tolo com ela, que insulta seu Senhor.
A expiação que o amor de um Redentor operou
não é para você – os justos não precisam disso.
Veja você prostituta cortejando tudo o que ela conhece,
O incômodo desgastado das ruas públicas,
Ela mesma de manhã à noite, da noite à manhã,
Sua própria aversão e tanto seu desprezo.
O chuveiro gracioso, ilimitado e livre,
Caia sobre ela quando o céu lhe negar.
De tudo o que a sabedoria dita, esta a deriva,
Que o homem está morto em pecado e a vida um presente. ”

Se os justos e os bons não forem salvos – se rejeitarem o Evangelho – há outros que devem ser chamados, outros que serão resgatados, pois Cristo não perderá os méritos de Suas agonias, ou a aquisição de Seu sangue. “Para nós que somos chamados.” Recebi uma nota esta semana pedindo-me para explicar essa palavra “chamada” – porque em uma passagem diz: “Muitos são chamados, mas poucos são escolhidos”, enquanto em outra parece que todos os que são chamado deve ser escolhido. Agora, deixe-me observar que existem duas chamadas. Como meu velho amigo John Bunyan diz: “A galinha tem duas chamadas, o cluck comum, que ela dá diariamente e de hora em hora e a especial que ela significa para suas galinhas”.

Então há um chamado geral, um chamado feito para todo homem – todo homem o ouve. Muitos são chamados por isso. Vocês são todos chamados nesta manhã nesse sentido – mas muito poucos são escolhidos. O outro é uma ligação especial, a ligação das crianças. Você sabe como soa o sino durante a oficina para chamar os homens para o trabalho – isso é uma chamada geral. Um pai vai até a porta e grita: “John, é hora do jantar!” – essa é a ligação especial. Muitos são chamados com a chamada geral, mas não são escolhidos. O chamado especial é somente para as crianças e é o que se entende no texto: “Para nós que somos chamados, tanto judeus como gregos, Cristo o poder de Deus e a sabedoria de Deus”.

Essa ligação é sempre especial. Enquanto estou aqui e chamo homens, ninguém vem. Enquanto prego universalmente aos pecadores, nada de bom é feito. É como o raio de uma folha que você às vezes vê na noite de verão, linda, grandiosa, mas quem já ouviu falar de alguma coisa sendo atingida por ela? Mas o chamado especial é o flash bifurcado do céu. Atinge algures, é a flecha enviada entre as articulações do arnês. O chamado que salva é como o de Jesus, quando Ele disse: “Maria”, e ela disse: “Rabboni”. Você sabe alguma coisa sobre esse chamado especial, meu amado? Jesus chamou você pelo nome? Você consegue lembrar a hora em que Ele sussurrou seu nome em seu ouvido quando Ele disse: “Venha a mim”? Se assim for, você vai conceder a verdade sobre o que vou dizer a seguir – que é uma chamada eficaz.

Não há como resistir. Quando Deus chama com Seu chamado especial, não há como voltar atrás. Ah, eu sei que ri da religião. Eu desprezei, eu o abominei. Mas essa chamada! Ah, eu não viria Mas Jesus disse: “você deve vir. Tudo o que o Pai me dá virá. ”“ Senhor, não o farei. ”“ Mas você deve ”, disse Cristo. E eu tenho ido até a casa de Deus às vezes quase com uma resolução que eu não escutaria, mas ouça que devo. Oh, como a Palavra entrou em minha alma! Houve um poder de resistência? Não. Eu fui jogado para baixo – cada osso parecia estar quebrado. Eu fui salvo pela graça eficaz. Eu apelo à sua experiência, meus amigos. Quando Deus te pegou na mão, você poderia resistir a ele? Você ficou contra o seu ministro vezes o suficiente. A doença não te derrubou – a doença não te trouxe aos pés de Deus.

Como Saul, com seus cavalos indo para Damasco, aquela voz do Céu disse: “Eu sou Jesus a quem você persegue. Saulo, Saulo, por que me persegues? ”Não houve mais que isso. Essa foi uma chamada efetiva. Assim, mais uma vez, que Jesus deu a Zaqueu, quando ele estava em cima da árvore – pisando sob a árvore, Ele disse: “Zaqueu, desceu, hoje devo ficar em sua casa.” Zaqueu, foi levado na net, ele ouviu seu próprio nome. O chamado afundou em sua alma. Não conseguiu ficar na árvore, pois um impulso do Todo Poderoso o atraiu. E eu poderia lhe contar alguns casos singulares de pessoas indo à casa de Deus e tendo seus personagens descritos, até a perfeição, de modo que eles tenham dito: “Ele está me descrevendo! Ele está me descrevendo!

Assim como eu poderia dizer àquele jovem aqui que roubou as luvas de seu amo ontem, que Jesus o chama ao arrependimento. Pode ser que haja tal pessoa aqui. E quando o chamado chega a um caráter peculiar, geralmente vem com um poder especial. Deus dá um pincel a seus ministros e mostra como usá-lo na pintura de retratos realistas. E assim o pecador ouve o chamado especial. Eu não posso dar o chamado especial – somente Deus pode dar isto e eu deixo isto com Ele. Alguns devem ser chamados. Judeus e gregos podem rir, mas ainda há alguns que são chamados, tanto judeus como gregos.

Então, para fechar este segundo ponto – é uma grande misericórdia que muitos judeus foram feitos para abandonar sua auto-justiça; muitos legalistas foram feitos para abandonar seu legalismo e vir a Cristo. Muitos gregos curvaram seu gênio no Trono do Evangelho de Deus. Nós temos alguns desses. Como Cowper diz–

“Nós nos orgulhamos de alguns ricos que o Evangelho balança,
E um que usa uma coroa e ora.
Como brotos de uma oliveira, eles mostram
Aqui e ali, um sobre o galho mais alto.

III Agora chegamos ao nosso terceiro ponto, A GOSPEL ADMIRED. Para nós, que somos chamados por Deus, é o poder de Deus e a sabedoria de Deus. Agora, Amado, isso deve ser uma questão de pura experiência entre suas almas e Deus. Se você é chamado por Deus esta manhã, você saberá. Eu sei que há momentos em que um cristão tem que dizer

“É um ponto que
desejo conhecer, mas isso causa um pensamento ansioso;
Eu amo o Senhor ou não?
Eu sou Dele, ou não sou?

Mas se um homem nunca em sua vida soube ser cristão, nunca foi cristão. Se ele nunca teve um momento de confiança, quando poderia dizer: “Agora sei em quem tenho acreditado”, acho que não digo uma coisa dura quando digo que aquele homem não poderia ter nascido de novo. Pois eu não entendo como um homem pode nascer de novo e não saber disso. Eu não entendo como um homem pode ser morto e então tornado vivo novamente e não saber disso – como um homem pode passar da morte para a vida e não saber disso – como um homem pode ser trazido das trevas para uma maravilhosa luz sem saber disso.

Tenho certeza que sei quando grito meu velho verso:

“Agora, livre do pecado, ando muito,
o sangue do Meu Salvador é a minha descarga total.
Aos Seus pés queridos eu me deito,
Um pecador salvou e homenageou.

Há momentos em que os olhos brilham de alegria. E podemos dizer: “Estamos persuadidos, confiantes, certos”. Não quero angustiar ninguém que esteja em dúvida. Muitas vezes, dúvidas sombrias prevalecerão. Há épocas em que você tem medo de não ter sido chamado – quando duvida de seu interesse em Cristo. Ah, que misericórdia é que não é o seu domínio de Cristo que te salva, mas o seu domínio de você! Que doce fato é que não é como você agarra a mão Dele, mas a sua compreensão, que te salva. No entanto, acho que você deve saber uma ou outra vez, se você é chamado por Deus. Se assim for, você vai me seguir na próxima parte do meu discurso, que é uma questão de pura experiência – para nós, que somos salvos, é “Cristo o poder de Deus e a sabedoria de Deus”.

O Evangelho é para o verdadeiro crente uma coisa de poder. É Cristo, o poder de Deus. Sim, existe um poder no evangelho de Deus além de toda descrição. Uma vez, eu, como Mazeppa, amarrado no cavalo selvagem da minha luxúria, mãos e pés amarrados, incapaz de resistir, estava galopando com os lobos do Inferno atrás de mim, uivando pelo meu corpo e minha alma, como presa justa e legítima. Veio uma poderosa Mão que parou aquele cavalo selvagem, cortou meus bandos, me colocou para baixo e me trouxe em liberdade. Existe poder, senhor? Sim, há poder e aquele que sentiu deve reconhecê-lo. Houve uma época em que eu vivia no antigo castelo dos meus pecados e descansava em minhas obras. Veio um trompetista até a porta e me mandou abrir. Eu com raiva o repreendi da varanda e disse que ele nunca deveria entrar.

Veio uma boa personagem, com rosto amoroso. Suas mãos estavam marcadas com cicatrizes, onde as unhas eram empurradas e os pés também tinham marcas de unhas. Ele revirou a cruz, usando-a como um martelo. No primeiro golpe o portão do meu preconceito tremeu. No segundo tremeu mais. No terceiro caiu e ele veio. E Ele disse: “Ergue-te e põe-te em pé, porque eu te amei com amor eterno.” Uma coisa de poder! Ah, isso é uma coisa de poder. Eu senti isso aqui, neste coração. Eu tenho o testemunho do Espírito interior e sei que é uma coisa de poder, porque me conquistou. Ele me curvou

“Sua graça livre sozinho, do primeiro ao último,
ganhou o meu carinho e segurou minha alma rapidamente.”

O Evangelho para o cristão é uma coisa de poder. O que faz o jovem dedicar-se como missionário à causa de Deus – deixar pai e mãe – e ir para terras distantes? É uma coisa do poder que faz isso – é o Evangelho. O que é que capacita outrem ministro, no meio da cólera, a subir aquela escada rangente e ficar ao lado da cama de alguma criatura moribunda que tem aquela doença terrível? Deve ser uma coisa de poder que o leve a arriscar sua vida. É o amor da cruz de Cristo que lhe pede para fazê-lo. O que é isso que capacita um homem a se levantar diante de uma multidão de seus companheiros, todos despreparados ele pode estar, mas determinado que ele não falará nada além de Cristo e Ele crucificado? O que é que lhe permite chorar, como o cavalo de batalha de Jó em batalha, Aha, e mover glorioso em poder? É uma coisa do poder que faz isso – é Cristo crucificado.

E o que encoraja aquela mulher tímida a andar naquela rua escura na noite molhada, para que ela possa ir e se sentar ao lado da vítima de uma febre contagiosa? O que a fortalece para passar por esse covil de ladrões e passar pelo desregrado e profano? O que a influencia a entrar naquela casa funerária da morte e lá sentar e sussurrar palavras de conforto? O ouro faz ela fazer isso? Eles são pobres demais para lhe dar ouro. A fama a faz fazer isso? Ela nunca será conhecida nem escrita entre as mulheres poderosas desta terra. O que a faz fazer isso? É amor de mérito? Não. Ela sabe que não tem deserto antes do alto céu. O que a impele a isso? É o poder do Evangelho em seu coração. É a cruz de Cristo. Ela adora e, portanto, diz:

“Era todo o reino da natureza meu,
Que era um presente pequeno demais.
Amor tão maravilhoso, tão divino,
Exige minha alma, minha vida, meu tudo ”

Mas eu vejo outra cena. Um mártir é apressado para a estaca. Os executores estão ao redor dele. As multidões estão zombando, mas ele continua marchando. Veja, eles o amarram com uma corrente ao redor do meio dele, para a estaca. Eles empilham lenha toda sobre ele – a chama é acesa – escutem Suas palavras – “Abençoa o Senhor, ó minha alma e tudo o que está dentro de mim, abençoe Seu santo nome.” As chamas estão se acendendo em volta de suas pernas. O fogo está queimando até o osso! Veja-o erguer as mãos e dizer: “Sei que meu Redentor vive e que o fogo devora este corpo, mas em minha carne verei o Senhor”. Observe-o segurando a estaca e beijando-a como se amasse. Escute, como ele diz: “Por toda corrente de ferro que o homem me cinge, Deus me dará uma corrente de ouro. Por toda esta lenha e por esta vergonha e vergonha, Ele aumentará o peso da minha eterna glória ”.

Veja, todas as partes inferiores do Seu corpo são consumidas – ainda ele vive na tortura. Por fim, ele se inclina e a parte superior do corpo cai. E quando ele cai você o ouve dizer: “Em tuas mãos entrego o meu espírito”. Que maravilhosa magia estava sobre ele, Senhores? O que fez aqueles homens fortes? O que o ajudou a suportar essa crueldade? O que o fez ficar indiferente nas chamas? Foi a coisa do poder. Foi a cruz de Jesus crucificado. Pois “para nós, que somos salvos, é o poder de Deus”.

Mas eis uma outra cena muito diferente. Não há multidão lá. É um quarto silencioso. Há uma paleta pobre, uma cama solitária – um médico de prontidão. Há uma jovem garota. Seu rosto está embranquecido pelo consumo – por muito tempo o bicho comeu sua bochecha e, embora às vezes o rubor chegasse, era o resplendor mortal do Destruidor enganador. Lá está ela, pálida, pálida, cansada, moribunda – e ainda assim, um sorriso no rosto, como se ela tivesse visto um anjo. Ela fala e há música em sua voz. Joana d’Arc de antigamente não era tão poderosa quanto aquela garota. Ela está lutando com dragões em seu leito de morte – mas veja a compostura dela e ouça seu soneto moribundo –

“Jesus! Amante da minha alma,
Deixa-me voar ao teu peito
Enquanto as ondas perto de mim rolam
Enquanto a tempestade ainda está alta!
Esconde-me, ó meu salvador! esconda
Até que a tempestade da vida é passada!
Seguro no guia do refúgio;
Oh, receba minha alma finalmente!

E com um sorriso ela fecha os olhos na terra e os abre no céu. O que a capacita a morrer assim? É o poder de Deus para a salvação. É a cruz. É Jesus crucificado.

Eu tenho pouco tempo para discursar sobre o outro ponto e estar longe de mim para cansá-lo por um sermão prolongado e prosaico, mas devemos olhar para a outra declaração – Cristo é, para os chamados, a sabedoria de Deus, também como o poder de Deus. Para um crente, o Evangelho é a perfeição da sabedoria e, se não é assim para os ímpios, é por causa da perversão do julgamento conseqüente à sua depravação.

Há muito que uma ideia tem a opinião pública de que um homem religioso dificilmente pode ser um homem sábio. É costume falar de infiéis, ateus e deístas como homens de pensamento profundo e intelecto compreensivo. E tremer pelo controversialista cristão, como se ele devesse certamente cair pela mão do inimigo. Mas isso é puramente um erro. Pois o Evangelho é a soma da sabedoria, um epítome do conhecimento, um tesouro da verdade e uma revelação de misteriosos segredos. Nele vemos como a justiça e a misericórdia podem ser casadas. Aqui nós vemos a inexorável Lei inteiramente satisfeita e soberana amor levando o pecador em triunfo. Nossa meditação sobre ela aumenta a mente. E quando se abre para nossa alma em flashes sucessivos de glória, ficamos surpresos com a profunda sabedoria manifestada nela.

Ah, queridos amigos! Se você busca sabedoria, você a verá em toda a sua grandeza. Não no equilíbrio das nuvens, nem na firmeza das fundações da Terra – não na marcha medida dos exércitos do céu, nem no movimento perpétuo das ondas do mar. Não em vegetação com todas as suas formas de fadas de beleza. Nem no animal com seu maravilhoso tecido de nervo, veia e tendões – nem mesmo no homem – aquele último e mais elevado trabalho do Criador. Mas vire-se de lado e veja esta grande visão! Um Deus encarnado na cruz! Um Substituto expiando a culpa mortal! Um sacrifício satisfazendo a vingança do céu – e entregando o pecador rebelde! Aqui está a sabedoria essencial, entronizada, coroada, glorificada. Admire esta sabedoria, vocês homens da terra. E se você não é cego, até mesmo você que se gloriam em seu aprendizado.

Lembre-se, meus amigos, que enquanto o Evangelho é em si mesmo sabedoria, também confere sabedoria aos seus alunos. Ela ensina sabedoria e discrição aos jovens e dá entendimento aos simples. Um homem que é um admirador crente e um amante sincero da Verdade, como é em Jesus, está em um lugar certo para seguir com vantagem qualquer outro ramo da ciência. Confesso que tenho uma prateleira na minha cabeça para tudo agora. Seja o que for que eu saiba eu sei onde colocá-lo. O que quer que eu aprenda, sei onde guardá-lo. Certa vez, quando li livros, juntei todo o meu conhecimento em gloriosa confusão. Mas desde que eu conheci a Cristo, coloquei Cristo no centro como o meu sol e cada ciência gira em torno dele como um planeta, enquanto as ciências menores são satélites para esses planetas.

Cristo é para mim a sabedoria de Deus. Eu posso aprender tudo agora. A ciência de Cristo crucificado é a mais excelente das ciências – ela é para mim a sabedoria de Deus. Ah, rapaz, construa seu estúdio no Calvário! Aumente seu observatório e escaneie pela fé as coisas elevadas da natureza. Pegue uma cela de eremita no jardim do Getsêmani e banhe suas sobrancelhas com as águas de Siloé. Deixe a Bíblia ser seu clássico padrão – seu último recurso em questões de contenção. Deixe sua luz ser sua iluminação e você se tornará mais sábio que Platão – mais verdadeiramente aprendido que os sete sábios da antiguidade.

E agora, meus queridos amigos, solene e sinceramente, como à vista de Deus, apelo a vocês. Você está reunido aqui esta manhã, eu sei, de diferentes motivos. Alguns de vocês vieram da curiosidade. Outros de vocês são meus ouvintes regulares. Alguns vieram de um lugar e alguns de outro. O que você me ouviu dizer hoje de manhã? Eu lhe falei de duas classes de pessoas que rejeitam a Cristo. O religioso que tem uma religião de forma e nada mais. E o homem do mundo, que chama a nossa tolice do Evangelho. Agora coloque sua mão sobre o seu coração e pergunte a si mesmo esta manhã: “Eu sou um desses?” Se você for, então ande na terra com todo o seu orgulho. Então vá como você entrou. Mas saiba que para tudo isto, o Senhor a trará a julgamento – saiba que suas alegrias e prazeres desaparecerão como um sonho, “e, como o tecido sem base de uma visão,

Saiba disso, além disso, ó homem, que um dia, nos corredores de Satanás, no inferno, eu talvez possa vê-lo entre aqueles miríades de espíritos que giram para sempre em um círculo perpétuo com as mãos sobre seus corações. Se sua mão for transparente e sua carne transparente, eu olharei através de sua mão e carne e verei seu coração por dentro. E como vou ver isso? Defina em caso de incêndio – em caso de incêndio! E aí você deve girar para sempre, com o verme roendo dentro de seu coração, que nunca morrerá – um caso de fogo ao redor do seu coração que nunca morre, sempre torturado. Bom Deus! Não deixe que estes homens ainda rejeitem e desprezem a Cristo. Mas seja este o tempo em que serão chamados.

Para o resto de vocês que são chamados, não preciso dizer nada. Quanto mais você viver, mais poderoso você encontrará o Evangelho para ser. Quanto mais profundamente ensinado por Cristo você é, mais você vive sob a constante influência do Espírito Santo. Quanto mais você conhecer o Evangelho como uma coisa de poder, mais você também entenderá que é uma coisa de sabedoria. Que toda bênção descanse sobre você. E que Deus venha conosco à noite –

“Deixe homens ou anjos cavarem as minas
Onde o tesouro de ouro da natureza brilha.
Trazido perto da doutrina da cruz,
todo o ouro da natureza aparece, mas escória.
Devem blasfêmias vis com desdém
Pronunciar as verdades de Jesus em vão
Conheceremos o escândalo e a vergonha.
E cantar e triunfar em seu nome.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here