Home MAX LUCADO
5
0

 

Por: Max Lucado

A foto angustiante de um imigrante afogado e sua filha de quase dois anos de idade causa indignação. Estes são seres humanos; um pai e seu filho, uma família. Quase não temos tempo para processar a emoção antes de lermos sobre crianças doentes, famintas e migrantes que correm risco nos centros de detenção. Crianças? Pentear piolhos dos cabelos um do outro?

Oh meu. Meu meu meu. Queremos desviar o olhar. Mas não vamos. Não vamos nos virar. Não vamos retornar muito rapidamente às nossas atividades de verão. Vamos deixar que esses relatórios e imagens indiquem a forma mais profunda de oração.

Vamos gemer. O gemido é o vernáculo da dor; a língua escolhida do desespero. Quando não há palavras, estas são as palavras. Quando a oração não chegar, isso terá que acontecer. Tempos mais ensolarados ouvem petições mais agradáveis ​​e mais poéticas, mas os tempos tempestuosos geram sons tristes de tristeza, medo e pavor. Esses sons, essas petições sem adornos das trevas, chegam aos ouvidos de Deus Pai. Por quê? Porque eles são confiados aos cuidados do Espírito Santo.

Da mesma forma, o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza. Pois não sabemos por que orar como deveríamos, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos profundos demais para palavras. E quem procura corações conhece a mente do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos de acordo com a vontade de Deus (Romanos 8: 26-27).

Não sabemos como orar como devemos. O Espírito faz. E o Espírito fará. Lamentamos as condições desesperadas das famílias imigrantes. Lamentamos a tarefa impossível dada à Patrulha da Fronteira e às autoridades. Lamentamos a incapacidade de encontrar soluções civis. Vamos orar por soluções sopradas por Deus.

Senhor, por favor nos ajude. Precisamos agir, ajudar e resgatar. Mas primeiro, precisamos de empatia em oração. Isso é uma bagunça. Uma bagunça humanitária e de partir o coração. Como estamos nos perguntando o que pode ser feito, vamos fazer o que somos chamados a fazer.

Vamos orar.
Vamos lamentar.
Vamos gemer.

– Max

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here